Com investimento de R$ 51,7 milhões, CMPC realiza Parada Geral com sucesso na linha 2 de Guaíba

17/08/2020

Maior indústria do Rio Grande do Sul, a CMPC concluiu na última semana a Parada Geral de Manutenção em uma de suas linhas de produção industrial. Após a estruturação de um minucioso plano, a empresa executou com sucesso o desafio de realizar a ação, que teve a duração de dez dias, em meio a uma pandemia e ainda contribuiu com um investimento de R$ 51,7 milhões na economia estadual. A iniciativa é de suma importância para que a unidade industrial cumpra com todas as normas operacionais de sustentabilidade, saúde e segurança e para que a companhia continue atendendo às demandas da sociedade, garantindo que itens essenciais produzidos à base de celulose cheguem nas residências das famílias, tais como embalagens de medicamentos e alimentos, papel higiênico, papel toalha, entre outros produtos de higiene e limpeza.

“O grande objetivo da Parada Geral é realizar a inspeção em caldeiras de recuperação com foco em segurança, sustentabilidade e saúde das pessoas. Durante este período, equipamentos e ferramentas são avaliados, reparados, lubrificados e substituídos caso necessário, proporcionando também uma redução de custos e melhores resultados de produção, sempre com respeito ao meio ambiente. Ou seja, é um período estratégico em que as principais linhas produtivas interrompem suas atividades para manutenção e implementação de novos projetos e que nos dá a garantia de seguir operando com segurança por mais 15 meses, quando outra parada geral deve vir a ser feita”, explica o diretor-geral da CMPC, Mauricio Harger.

Para a realização da ação foram contratadas de 91 empresas, sendo aproximadamente 50% de mão de obra proveniente do Rio Grande do Sul, desse montante, 375 profissionais são de Guaíba. No período foram servidas cerca de 70 mil refeições.

A atenção aos detalhes na estruturação do plano resultou na aprovação pela Vigilância Sanitária municipal de Guaíba e pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul. A empresa também o apresentou para outras instituições que tratam do tema como a Vigilância Sanitária do Rio Grande do Sul, Assembleia Legislativa do RS, Ministério Público Estadual, Prefeitura Municipal de Porto Alegre e Procuradoria Geral do Estado.

A companhia, que foi pioneira na implantação de um protocolo com mais de 20 medidas de prevenção e cuidados ao COVID-19, adotou regras ainda mais rigorosas para o período. “Consultamos todas as pessoas e instituições que aprovariam nosso plano, e mais do que isso, que pudessem contribuir para torná-lo ainda mais robusto e alinhado com a saúde das pessoas da CMPC, da comunidade de Guaíba e as demais cidades vizinhas. O resultado de sucesso comprovou que iniciativas como essa, quando bem desenhadas, com diálogo e transparência com instituições e com as pessoas, tendem a ser bem-sucedidas”, destaca Mauricio.

De um total de 2444 profissionais que trabalharam na ação somente três foram positivados com o vírus, esses rapidamente afastados e, hoje, já estão 100% recuperados. Entre os cuidados tomados estiveram ações como a realização de testes para COVID-19 em todos os trabalhadores, independente do estado e município de origem. Os profissionais de outros estados realizaram testes antes da viagem de seu estado de origem, e após sua chegada ao Rio Grande do Sul, cumprindo ainda um período de quarentena antes de acessar à unidade industrial. Para que fosse possível fazer a rastreabilidade de todas as pessoas envolvidas na parada geral, os profissionais também foram divididos em grupos por cores, ou seja, a pessoa que trabalhou em uma determinada atividade e estava hospedada em um hotel da cor azul, frequentou o ônibus diário de cor azul, fez uso dos sanitários de cor azul e a sua alimentação foi feita no restaurante também de cor azul. Além disso, em todas as circunstâncias foi obrigatório a utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs): em alguns casos máscaras N95, em outros, máscaras cirúrgicas e, em todos, luvas.

Os recursos tecnológicos contribuíram para os bons resultados de todo o processo, com a utilização de capacetes para medir a temperatura corporal à distância, uso de óculos com realidade aumentada para supervisão remota e suporte aos profissionais em campo, e aplicativo para monitorar em tempo real à performance e a evolução dos trabalhos na Parada Geral.

“Foi recompensador ver o resultado do empenho de todas as equipes para seguir os protocolos, garantindo a saúde e a segurança de todas as equipes envolvidas. Essa foi apenas mais uma fase superada, mas os cuidados não podem parar. Seguimos trabalhando com atenção e segurança, cumprindo com rigor todas as medidas preventivas do nosso Protocolo”, afirma Mauricio.

Sobre a CMPC A unidade da CMPC Brasil fica localizada no Rio Grande do Sul, faz parte do grupo chileno CMPC e produz 1,9 milhão de toneladas de celulose, matéria-prima biodegradável para fabricação de produtos de higiene pessoal (tissue), embalagens para medicamentos e alimentos, presente em vários outros itens do cotidiano das pessoas. A empresa gera 6,5 mil postos de trabalhos diretos e, considerando os empregos indiretos e induzidos, é responsável pela criação de 45 mil empregos, sendo a maior indústria do estado. A sustentabilidade é um dos propósitos da companhia que está presente no Brasil desde 2009 e é uma das únicas carbono neutro no País, pelo fato de sequestrar cerca de 14 milhões de toneladas de dióxido de carbono da atmosfera, reduzindo o impacto da intensificação do efeito estufa. A CMPC é uma empresa da nova bioeconomia, recirculando 99,8% de seus resíduos sólidos, que são transformados em 15 novos produtos, desde matéria-prima para produção de cimento e painéis de madeira até corretivo de PH do solo e fertilizantes orgânicos. Em 2020, o grupo CMPC comemora 100 anos de atuação no mundo e conta com mais de 17 mil colaboradores em oito países. Outras informações estão no site http://www.cmpc.com.br/.